Aqui tem mais!

segunda-feira, 4 de março de 2013

Vale a pena (vi)ver de novo?




Trauma? Que trauma que nada! Todas as vezes que o coração for dilacerado, a cara quebrada e a angústia surgir como conselheira que não servira para criar traumas, mas sim para aprender na marra a diferença entre o que é necessário, o que é passageiro e o que vem por merecimento!


Necessário: é saber que a única pessoa que pode te fazer feliz é você mesmo. Este tipo de trabalho não pode, nem deve, ser terceirizado. Enquanto você procurar alguém para te fazer feliz estarás buscando também uma grande chance de encontrar a frustração. A felicidade tem que ser independente, de estar ou não com alguém.

Passageiro: é saber reconhecer que a companhia para a diversão de hoje pode não ser uma boa companhia para crescer, para agir com inteligência e para superar obstáculos. Aquele alguém que aparece em meio a carências e excessos mostra na verdade o quanto o coração e a mente podem estar ociosos.


Merecido: aah, o merecimento é sublime. É estar completo, mesmo que sozinho. É ter descoberto em si o poder da felicidade, a compreensão de que tudo tem seu tempo, o amor próprio, o foco nos projetos pessoais e a importância de manter-se intacto de traumas, medos, ressentimentos e cicatrizes, pois afinal um dia a recíproca do merecimento há de aparecer, e ela vai querer te encontrar por inteiro. 
Sim, inteiro. Não há entrega pela metade. Seja 100% de corpo, alma, coração, razão e até aquelas razões que a própria razão desconhece.

Não se encontra o amor assim tão fácil. Na verdade o amor nem é difícil, o que é difícil mesmo é a recíproca. Principalmente entre adultos, que já trazem consigo tantos" prés" conceitos, que as vezes não sobra tempo (ou seria interesse?) para recomeçar, conhecer, descobrir, estar... e tudo mais que vem depois do start!

Há coisas que não criam traumas, mas sim, que nos tornam mais maduros. Pode doer na hora, mas fortifica e lá na frente essas experiências serão importantes para distinguirmos o que vale e o que não vale a pena (vi)ver de novo!



2 comentários:

  1. Mais um ótimo texto! Concordo em gênero, número e grau... Beijos,

    Anne.

    ResponderExcluir

Adoro comentários. Este espaço é para você deixar o seu!